Entrevista com Alexandre Rodrigues – Gestão de Portfólios de Projetos

Entrevista com Alexandre Rodrigues (PMO-Project Group-Portugal) abordando como a gestão eficaz do portfólios de projetos pode auxiliar o planejamento estratégico da empresa.

Alexandre participará como palestrante no segundo dia do evento Portfolio Management Strategies 2010 – evento organizado pela IQPC – falando sobre a utilização do Método de Valor Agregado na Gestão Estratégica de Portfolios. Leitores do blog Gerente de Projeto têm 10% de desconto no evento. Basta fornecer o código 12739004BGN no momento da inscrição.

Veja parte da entrevista.

Cite algumas práticas que devem ser adotadas pelas empresas em gerenciamento de portfólio de projetos?
Alexandre Rodrigues: As práticas de gerenciamento do portfólio de projetos tem vindo a evoluir de forma muito significativa ao longo dos últimos anos, a par dos desenvolvimentos na área do gerenciamento de projetos e de programas. Efetivamente, estas três disciplinas formam o que hoje em dia é designado pelo Project Management Institute (PMI) por gerenciamento organizacional de projetos (ou em Inglês, OPM Organizational Projrct Management). No que respeita às boas práticas, duas referências obrigatórias são os mais recentes standards internacionais do PMI neste domínio, nomeadamente o The Standard for Portifólio Management (2008) e o Organizational Project Management Matutiry Model (OPM3) (2008). Interessa compreender em que consiste um portifólio e qual a sua importância para a estratégia de negócio de uma organização. De forma simples, um portifólio é definido como um conjunto ou agrupamento de projetos, de programas e de outro tipo de trabalho, que são geridos mais eficazmente em conjunto de modo a realizarem a estratégia de negócio da organização. Exemplos práticos de portfólios constituem linhas de negócio construídas por um conjunto de produtos e serviçosdestinados a um determinado setor de mercado, ou unidades de negócio de uma organização que atuam em determinada zona geográfica. Estes agrupamentos, quase naturais, das iniciativas de negócio de uma organização por zona geográfica ou por segmento de mercado, e que passam a ser geridas de forma relativamente autônoma, constituem na sua essência portfólios. Se for uma realidade de longa data que os portfólios sempre existiram nas organizações (de modo mais ou menos explícito), a organização do modelo de negócio de uma empresa segundo uma estrutura explícita de portfólios e sub-portfólios, bem como a formalização do processo de gestão de cada portifólio segundo um conjunto de subprocessos equipados com técnicas e ferramentas especializadas, já é uma novidade mais recente e que é procurada hoje em dia por todas as organizações modernas que baseiam a sua atuação no mercado com base em projetos e programas na verdade, descobriu-se que a gestão dispersa de projetos e programas não produz a médio e longo prazo os resultados necessários àrealização da estratégia das organizações.

IQPC – Como garantir que as suas iniciativas estratégicas estejam 100% alinhadas com os objetivos das empresas?
Alexandre Rodrigues: Numa realidade de negócio dinâmica e em constante mudança, o alinhamento absoluto de todas as iniciativas de negócio com a estratégia da organização não é possível sem uma constante monitorização e gestão da mudança. O alinhamento deve ser perseguido e maximizado, raramente sendo alcançado em absoluto. A maximização deste alinhamento deve basear-se na concepção de portfólioscapazes de relacionar eficazmente e de modo balanceado as iniciativas de negócio com os objetivos estratégicos da organização. Por exemplo, se a inovação de produtos e serviços constitui um objetivo estratégico da organização, então há que considerar um ou mais portfólios que atuam no desenvolvimento de know-how na organização, e/ou na realização de investigação conducente a novas descobertas capazes de potenciar novos produtos e serviços. Neste contexto, o gerenciamento de portfólios é um modelo de gestão que deverá ser integrado com um modelo de balanced scorecard segundo quais todas as iniciativas na organização deverão estar mapeadaspara os eixos de desenvolvimento estratégico e os seus contributos devem ser mensuráveis. Segundo o modelo do PMI para o gerenciamento de portfólios, este cruzamento entre os objetivos das iniciativas de negócio e os estratégicos são essenciais, conjuntamente com a gestão de risco e com a medição do contributo das componentes de um portfólios (i.e. projetos, programas ou outras iniciativas).

Para maiores informações acesse o site da conferência aqui e faça o download da entrevista completa.

Alexandre Rodrigues é licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática pela Universidade do Minho, com Doutorado em Gestão de Projetos pela Universidade de Strathclyde (Reino Unido). Tendo desenvolvido grande parte da sua carreira profissional no Reino Unido e EUA, trabalhou como Consultor de Gestão na PA Consulting Group (EUA), com especialização na utilização da simulação dinâmica por computador no apoio à Gestão de Projetos. Nesta fase da sua carreira, esteve envolvido em projetos internacionais de grande envergadura, em particular na área da defesa onde também desenvolveu investigação aplicada, em particular na British Aerospace (UK) onde recebeu como resultado do seu trabalho o prémio Mike Simpson Award 1996 atribuído pela prestigiada associação Britânica Operational Research Society. Na fase inicial da sua carreira profissional, trabalhou vários anos como engenheiro de software.

Atualmente é membro do Cutter Consortium, consórcio Norte-Americano para as Tecnologias de Informação, onde participa como expert nas práticas de Agile Software Development, Risk Management e Business-IT Alignment. Publica regularmente artigos em revistas de negócio e científicas, sendo palestrante convidado em várias conferências nacionais e internacionais. Em 1996 foi co-organizador de uma NATO Advanced Research Workshop dedicada ao tema Managing and Modelling Complex Projects, a qual tomou lugar em Kiev (Ucrânia) e reuniu um leque de especialistas internacionais nesta área. Foi também editor convidado do número de Abril de 2001 do Cutter IT Journal (Chair Ed.Yourdon) dedicado ao tema Multicultural Project Management. Em 2003 foi convidado a publicar um artigo no APM Year Book 2003, editado anualmente pela Association for Project Management (APM) do Reino Unido, dedicado ao tema Earned Value Management in the International Scene. Desde 2002, ao serviço da PMO empresa da qual foi um dos sócios-fundadores, leciona vários cursos de formação em Gestão de Projetos no âmbito do programa de certificação PMP® do Project Management Institute (PMI) dos quais se destaca a concepção e desenvolvimento da pós-graduação em Gestão de Projetos PMP Best Practitioner®.

Sem comentários ainda.

Deixe uma resposta

UA-17398165-1